Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Chery Cielo » Remapeamento da Injeção

Remapeamento da Injeção

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Remapeamento da Injeção em Qua Fev 23, 2011 9:35 am

Daniel

avatar
Motor Acteco 0.8
Motor Acteco 0.8
Bom Dia a Todos,


Estou vendo alguns colegas comentando a respeito de um remapeamento da injeção do Cielo. Estou abrindo este tópico para que possamos compartilhar informações a respeito deste serviço. Quem já fez este serviço ?, onde fez ?, realmente melhorou o consumo/ desempenho ?.



Atenciosamente;
Daniel

2 Re: Remapeamento da Injeção em Qua Fev 23, 2011 6:56 pm

Kastor

avatar
Motor Acteco 1.3
Motor Acteco 1.3
Daniel escreveu:Bom Dia a Todos,


Estou vendo alguns colegas comentando a respeito de um remapeamento da injeção do Cielo. Estou abrindo este tópico para que possamos compartilhar informações a respeito deste serviço. Quem já fez este serviço ?, onde fez ?, realmente melhorou o consumo/ desempenho ?.



Atenciosamente;
Daniel

Nascar Chips chiparam até uma Gallardo, dúvido que não saibam mexer na centralina do Cielo.

3 Re: Remapeamento da Injeção em Qui Fev 24, 2011 2:14 pm

Daniel

avatar
Motor Acteco 0.8
Motor Acteco 0.8
Valeu pela sugestão Kastor.

Liguei lá na Nascar, sim eles fazem o trabalho de remapeamento do chip, inclusive o cara comentou que fez um cielo semana passada.

Ele comentou que consegue uma melhora de cerca de 15% a mais de torque e cerca de 12cv a mais. Isto pode variar um pouco de carro p/ carro mas seria uma variação mínima.

O valor, ficaria em torno de R$1.000,00 (hum mil reais). Eles podem melhorar no preço caso mais participantes aqui do Clube façam o mapeamento. Para se ter uma idéia, um carro nacional é cobrado em média R$450,00.

Este mês do fuu de $$$, mas acho que mês que vem vou pensar bem no assunto.

4 Re: Remapeamento da Injeção em Qui Fev 24, 2011 10:15 pm

Kastor

avatar
Motor Acteco 1.3
Motor Acteco 1.3
Bem Daniel, eu tive 3 carros preparados, um Tempra Turbo, um Impreza 4WD e um Prelude 4WS, o Tempra tinha quase 400cv.

Pro Cielo acho que o remap da injeção, um filtro K&N e um abafador de inox seja uma grande melhora, pois nessa brincadeira ai são quase 20 cavalos, ou seja 140cv praticamente um Focus.

5 Re: Remapeamento da Injeção em Qui Fev 24, 2011 11:11 pm

evertonrv

avatar
Motor Acteco 1.1
Motor Acteco 1.1
Uma duvida gente
COm esse remapeamento tem como o pessoal das concessionarias descobrirem ? Eu perderia a garantia ??
E o consumo ??? Como ficaria ???

6 Re: Remapeamento da Injeção em Sex Fev 25, 2011 12:45 am

Kastor

avatar
Motor Acteco 1.3
Motor Acteco 1.3
evertonrv escreveu:Uma duvida gente
COm esse remapeamento tem como o pessoal das concessionarias descobrirem ? Eu perderia a garantia ??
E o consumo ??? Como ficaria ???

Só se tu deixar o mecânico dar uma esticada até 180 com teu carro hauauhauh

7 Re: Remapeamento da Injeção em Sex Fev 25, 2011 6:59 am

Daniel

avatar
Motor Acteco 0.8
Motor Acteco 0.8
evertonrv escreveu:Uma duvida gente
COm esse remapeamento tem como o pessoal das concessionarias descobrirem ? Eu perderia a garantia ??
E o consumo ??? Como ficaria ???

A menos que o mecânico baixe a programação da central, não tem como saber.

Pois é, o consumo foi algo que eu não perguntei, rs. Mas pelo que li nos relatos, não muda, ou muda muito pouco.

8 Novos em Sex Abr 01, 2011 1:59 pm

Rodrigo de Sabata


Motor Acteco 0.8
Motor Acteco 0.8
Estou querendo comprar um cielo e estou pesquisando algumas concessionárias, o vendedor disse que os modelos que chegaram já estam com a injeção regulada para ganhar mais torque.

9 Re: Remapeamento da Injeção em Sab Abr 02, 2011 11:10 am

evertonrv

avatar
Motor Acteco 1.1
Motor Acteco 1.1
Sera ? Vou entrar em contato com 2 CSS pra ver isso
Se realmente for, vou exigir que façam tal alteraçao no meu.

10 Alteração do consumo em Ter Jun 28, 2011 11:35 am

Francisco Schons


Motor Acteco 0.8
Motor Acteco 0.8
Bom dia a todos,

com certeza o consumo será alterado se houver aumento de potência, pois esta relação é diretamente proporcional. Para se obter maior desempenho de um motor, é necessário "queimar" uma quantidade maior de combustível. Se vc não se importa com o aumento de consumo, pode ganhar alguns CV com o remapeamento, mas nada superior a 10% da potência original. Não existe mágica.

11 Re: Remapeamento da Injeção em Qua Ago 17, 2011 10:41 am

evertonrv

avatar
Motor Acteco 1.1
Motor Acteco 1.1
Oh pessoal
Ja fizeram o remapeamento.

Achei interessante o desempenho. Ficou com 133 cvs e 1.3 kgmf a mais. O valor é mil reais.
Segue o video no youtube.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

12 Re: Remapeamento da Injeção em Qua Ago 17, 2011 4:45 pm

felipemaraschin

avatar
Motor Acteco 0.8
Motor Acteco 0.8
Pessoal,

Antes de efetuarem qualquer reprogramação em veículos, sugiro que leiam o texto abaixo, retirado do fórum "Clube do Jetta", onde menciona-se preparação por chips.

Pessoal,

Não gastem dinheiro com bobagem. Não existe mágica. Potência = Torque x RPM X constante

Logo, para vc aumentar a Potência ou vc aumenta o torque ou RPM.

Para aumentar o torque, vc precisa colocar mais ar e combustível para dentro. Não adianta colocar apenas combustível, pq vc vai deixar a mistura rica, fungindo muito do fato lambda (quantidade de ar real/quantidade de ar ideal) para queimar direito.

Entretanto, todas as fábrica (com raras exceções, exemplo Marea 142 cv "amansado" para ser Marea 127cv) dimensionam a vazão do bico de modo a ele ter o tempo de abertura de 100% em WOT (condição de aceleração máxima). Isso tem um motivo. Se vc colocasse uma folga de 20% por exemplo, vc teria úteis 80% de abertura de bico para trabalhar. Isso faria com que em marcha-lenta vc tivesse um tempo muito pequeno, próximo do "dead time" (tempo morto, que significa o tempo "inútil" gasto para a agulha abrir e fechar). Isso deixaria a marcha-lenta ruim.

Isso é facilmente comprovável colocando um osciloscópio no bico injetor. Acelera-se o carro parado e vc vai ver que os pulsos dos bicos quase se unem. Isso sem carga. Com carga, o ar é maior e consequentemente precisa de mais combustível (mais pulso de bico), logo vai acontecer a "emenda" dos pulsos dos bicos, o que significa que o bico está 100% aberto em WOT, ou seja, ele nem fecha.

Logo, se o bico já está 100% aberto, como vc pode coloca mais tempo de abertura no bico ? Como se pode abrir alguma coisa mais de 100% ???

Além disso, tem outro fator. Toda fábrica só trabalha emissionando os motores em condição de cargas parciais, onde vc está em malha fechada para eficiência do catalizador (chaveando levemente de rico para levemente pobre). Em WOT vc está em malha aberta, ou seja, já não é emissionado. O foco é desempenho e não emissões. Todo combusível que vc precisa está lá. Pode ter certeza. Nessa condição, o fator Lambda fica menor que 1 (mistura rica) para baixar temperatura de câmara. Logo, ainda que quisesse jogar mais combustível, a potência só cairia porque significaria afogar o motor.

Desse modo, dependendo do carro vc só terá chance de ganhar alguma coisa, em cargas parciais colocando gasolina ou avanço de ponto de ignição. Isso significaria aumento pontual de torque, não significando necessariamente aumento do torque máximo. Mas isso para alguns motores apenas... e nunca será algo expressivo, porque vc não está adicionando ar mais, somente uma pequena "correção" de onde tiraram.

Mas pq a fábrica errou ? Na verdade, ela não errou. O foco são as emissões de gases. Possivelmente, esses pontos que faltarm avanço ou combustível, era pontos que havia muita emissão de HC (hidrocarboneto) ou CO ou NOX ou aldeído (para carros movidos á álcool).

Mas torque não vende carro e muito menos chips. A maioria das pessoas só guardam o valor de potência máxima, ainda que jamais tenha chegado nela porque não aceleram o motor até lá (costuma ser em torno de 5.000 até 6.500 rpm na maioria dos motores). Aliás, a maioria nem sabe o que é torque máximo e nem onde ele acontece. Mas o torque é o que 90% das pessoas usam no dia a dia, e por isso deveriam se preocupar. É a diferença entre ter que reduzir a marcha para uma subida ou retomar a velocidade.

Desse modo, quando existe algum ganho em motores aspirados (sem turbo compressor de fábrica), é sempre em RPM intermerdiária, em cargas parciais. Em Potência máxima, não ganha nem um potro manco a mais. Não caiam em estorinhas. Se alguém tiver dúvida, converse com um engenheiro mecânico da área automobilistica e mostrem esse texto. Verifiquem se o que falei faz sentido.

Eu conheço algumas pessoas que cairam nessa conversa. Eu mesmo há muitos anos atrás, quando não sabia, cai. Confesso. Não seja mais um.

Quer ganhar potência ? Turbine um carro, ainda que com baixa pressão de turbo. Jogue mais ar, mais combustível e terá mais potência. Como jogar mais combustível nessa situação ? Essa é outra conversa, ainda mais longa. Não recomendo fazer o motor girar mais. Isso aumenta desgaste interno.

A pergunta que pode surgir é como se vê o gráfico de dinamômetro de rolo mostrando valores lindos de Potência máxima. Infelizmente, é necessário um Input nos parâmetro do dinamômetro, como umidade, pressão atmosférica local (quanto mais alto, menor), temperatura ambiente, entre outros. Isso tudo forma um algorítmo na "conclusão final" da medição. Faz parte do software. Considerando que o mesmo esteja realmente calibrado, se vc muda um, ou alguns dessse parâmetros, vc ganha cavalos mágicos. Eles não existem. Somente no gráfico.

PS: Não vendo nada, não ganho $$ em preparação. Logo, não achem que precise enganar pessoas para algum propósito. Só me irritei ao ler esse tópico. Não podia me omitir. Isso é um absurdo !!! Estou fazendo a minha parte de dividir a informação com vocês.

Abraço à todos,

Marcelo

Última edição por Night_Arrow_2011 em Sab 09 Jul 2011, 19:57, editado 1 vez(es)

_________________
Engenheiro Mecânico - Certificado ASE em motores em 1998
Atualmente com Golf GTI 193cv 2008 e a partir do dia 20, de Jetta TSI 200cv preto com teto."


O endereço do fórum é:http://clubedojetta.forumeiros.com/t964-chip-novo-jetta

Um amigo meu saiu do Rio e foi a SP para "chipar" o carro. Gastou aproximadamente R$400,00 e não resultou em NENHUMA diferença (era um Gol 1.0 Turbo).

Sugiro não partir para isso pois, se realmente houver algum ganho será em regime intermediário, uma vez que não dá para colocar mais ar para o motor (a não ser que utilize um turbo) nem mais combustível (a não ser que troque-se o bico injetor ou utilize uma bomba com maior vazão, bagunçando completamente o sistema de injeção).

Um abraço!!!

13 Re: Remapeamento da Injeção em Qui Ago 18, 2011 5:38 pm

Gustavo


Motor Acteco 1.6
Motor Acteco 1.6
Discordo parcialmente.
Ainda mais desse "engenheiro mecanico" aí que não sabe escrever em português.

Esse texto é mais imparcial e informa bem melhor, apesar de falar em 30 a 40cv, um carro "comum" nunca vai tirar isso.


Milagre ou enganação? Especialistas falam sobre chip de potência

Muitos santos desconfiam dos milagres do remapeamento dos chips nos módulo da injeção eletrônica, um processo que promete aumentar de cinco a dez por cento a potência de um carro em apenas duas horas de mão de obras. Milagroso ou não, procuramos especialistas para descobrir se realmente funciona ou se é prejudicial ao seu carro.

O que é remapeamento de chip?
A injeção eletrônica do seu carro está treinada para aceitar alguns parâmetros (ou mapas) de como ela deve se comportar em determinadas circunstâncias. Com estas informações, ela analisa as variáveis (combustível, clima, pressão atmosférica) e controla a curva de torque, a mistura do combustível, etc. Em alguns casos, a injeção também é programada para limitar eletronicamente a velocidade máxima de um veículo.
Ao remapear o chip, estes parâmetros são alterados. Ao privilegiar algumas faixas de trabalho, você consegue aumentar a potência ou elevar o torque em baixas rotações, por exemplo. Tudo acontece muito rápido. Em carros mais antigos, uma chave de fenda e um notebook são suficientes para realizar o processo, que não demora nem duas horas na mão de um especialista. Os carros mais novos têm uma série de proteções e barreiras que tornam o trabalho mais difícil, mas quase sempre possível. O programador liga o Eprom (ou chip) ao computador e, através de um software, grava os novos dados na memória. Pronto, depois disso é só ir para o dinamômetro.

Funciona?
Sim, funciona. Isso porque o motor vem de fábrica com uma margem de segurança, fazendo um equilíbrio entre consumo, potência e emissão de poluentes; o chamado custo-benefício. “Você consegue aumentar 30% o torque, ou então 30 ou 40 cavalos. Há algumas situações da curva de torque onde consegue ter ganhos de 10% ou às vezes até mais. Dá uma melhoria bem sensível na dirigibilidade do carro”, explica Ronald Funari, da oficina Funari, com mais de 15 anos na área e projetos espetaculosos como esse Golf.

Se funciona, por que não vem original de fábrica?
Vamos agora a um ponto de vista mais próximo ao das montadoras. Segundo Fábio Ferreira, engenheiro mecânico e diretor do Comitê de Veículos Leves do Congresso SAE 2010, a injeção é configurada de maneira que o veículo trabalhe bem em qualquer condição. Se o dia é quente ou frio, a gasolina é boa ou ruim, todas estas variáveis são consideradas e analisadas pelas montadoras, que acertam parâmetros que permitem ao motor um bom funcionamento.
Mas quem precisa trabalhar bem em todas as condições? Ronald Funari acha que estas configurações são globalizadas demais. “Eles desenvolvem carros aqui no Brasil que vão rodar no mundo todo, assim como os carros lá de fora rodam aqui no Brasil. Então você tem que atender diversas situações climáticas, diversas condições de qualidade de combustível, altitude”. Sendo assim, a potência seria arrancada desta margem dada pelas configurações “genéricas” de fábrica.
“Quer dizer que se você for para a montanha ou para o nível do mar o carro não vai funcionar mais?”, brinca Fábio Ferreira, que não acredita que uma montadora, hoje em dia, iria sacrificar a potência de um carro. “Existe uma falsa propaganda de que vai melhorar, mas vai melhorar temporariamente, pois as montadoras consideram todos os seus parâmetros para trabalhar no ótimo. Ninguém fica desperdiçando motor, deixando ele trabalhar abaixo do que ele foi projetado”, diz. Além disso, pesa a questão das leis de emissão de poluentes – que, vale dizer, continuam valendo depois que você prepara o carro, então cuidado com a inspeção veicular.

Isso pode ferrar com o carro?
Trocar ou remapear o chip do módulo de injeção eletrônica pode danificar o seu motor, isso não é nenhum segredo. Um serviço mal feito (cuidado com os manés que compram os software e ferramentas de remapeamento a preço de banana no Mercado Livre e se acham especialistas) e um dono pouco cuidadoso podem acabar com sua máquina. “Você consegue aumentar o torque ou o HP, com a vida útil praticamente inalterada, desde que cuide direito, faça manutenção, não tem problema algum”, garante Funari.
A opinião do engenheiro é diferente e seu conselho é que o melhor é mesmo é deixar o chip do jeitinho que veio da fábrica. “As pessoas que fazem o remapeamento não levam em consideração parâmetros de durabilidade. Podem estar submetendo o veículo a uma condição para o qual o ele não foi projetado e assim sendo ele pode se danificar mais rápido”, explica. “Além da emissão de poluentes, que o usuário não vai perceber, você pode ter comprometimento do motor, uma vez que o pessoal mexe muito com o aumento da ignição”.
No caso do remapeamento para trocar o tipo de combustível, Fábio garante que não vale a pena. “De uma forma simples, não é fácil trabalhar com álcool. É bem provável que este carro vai consumir mais do que um carro equivalente que foi projetado para trabalhar com álcool”. O que vai acontecer é que a relação de preço entre álcool e gasolina pode não compensar o investimento e peças como a bomba de combustível irão se degradar facilmente.
Mais importante do que a integridade do motor, a sua segurança vem em primeiro lugar. “O software alterado pode não se comportar de maneira cem por cento correta, ele pode submeter o veículo a uma condição indesejada de operação de segurança”, diz Fábio, que cita a Toyota como exemplo de que a parte eletrônica do carro pode te deixar na mão. “Se você submete o veículo a uma condição eletrônica não muito segura, você pode estar correndo um risco. A alteração de software, ao nosso ver, pode comprometer a integridade do carro e dos passageiros”.

O limite é o ferro velho!
Veículos com velocidade máxima eletronicamente controlados parecem ser tão antiquados, não é mesmo? Vamos pegar o Ford Fusion como exemplo. Um carro de 162 cavalos de potência que não pode andar a mais de 180 km/h. Parece castigo de mãe. E se eu quiser participar de um Track Day? Isto é algo que pode ser facilmente alterado, mas prepare-se para trocar uma série de componentes do carro, caso você não o queria ver no ferro velho com alguns meses de uso.
“Se um veículo não foi projetado para trabalhar nessa velocidade, então a transmissão está sendo submetida a uma velocidade excessiva, há o risco de danificar. O sistema de freios também pode não ter sido projetado para esta velocidade e não funcionar adequadamente”, alerta Fábio. Até mesmo os pneus do carro são escolhidos de acordo com a velocidade máxima que ele alcançará.

Legal ou ilegal?
No Brasil, os preparadores sofrem com a burocracia e o excesso de papeladas do Detran. Qualquer tipo de alteração feita em um carro deve passar por uma série de processos, que inclui uma vistoria técnica, para que você consiga um documento com a nova condição do carro. É um processo caro, trabalhoso e demorado, já que você vai alterar as características para as quais o carro foi homologado e pelas quais recebeu permissão para rodar na rua. Se você não passar por isso, infringirá a lei ambiental e não sairá da bliz sem alguns pontos a mais na carteira.
Aquela garantia de três anos que foi decisiva para definir a sua compra também não valerá mais. Remapear o chip é algo feito por sua conta e risco e quebra o contrato da garantia. “É uma coisa que as montadoras e as fabricantes de autopeças não reconhecem como válida no mercado”, diz Fábio.

Veredicto
Este é um assunto extremamente polêmico. Aqui no Jalopnik nós já mostramos diversas preparadoras estrangeiras conceituadas que alteram os chips da injeção eletrônica para melhorar o desempenho. Geralmente elas são acompanhadas de mudanças no turbo, escapamento, indução de ar, variações que também criam novos parâmetros para a eletrônica do carro. Kits de preparadoras européias renomadas como a Oettinger, MTM e ABT chegam inclusive a homologar mudanças nas ECU.
Aqui no Brasil, há profissionais que mexem com remapeamento de chip desde a época do Gol GTi. Com tanto tempo de mercado, quem melhor pode indicar a confiabilidade ou não do processo são os próprios clientes. Se você realmente quer alguns cavalos a mais e não se importa em diminuir a autonomia do carro, procure um destes profissionais gabaritados. O preço de um remapeamento pode ser de R$ 200 a R$ 1.500 dependendo do modelo do carro e da qualidade do serviço.

14 Re: Remapeamento da Injeção em Qui Ago 18, 2011 7:09 pm

felipemaraschin

avatar
Motor Acteco 0.8
Motor Acteco 0.8
Gustavo, realmente é polêmico. Eu não coloco no meu carro, mas pq isso não funciona. Mesmo que o artigo não conclua nada ele ainda tende aos entrevistados, que são lojas de preparação e vendem esse serviço, ou seja, jamais diriam que não funciona.

Colocar chip em carro aspirado (não estamos falando de turbo) não vai dar nenhum ganho em alta. A conta é simples e foi citada no post do Clube do Jetta (Potência = Torque x RPM x Constante). Essa é a formula, não tem mágica.

Se quiser aumentar a potência do carro, só aumentando o torque ou aumentando o RPM. Essa última não é recomendável uma vez que a durabilidade do motor vai diminuir muito, então só nos resta aumentar o torque. Ok, como se faz isso no aspirado: Aumentando a quantidade de mistura ar/combustível que enviado para dentro do motor (não dá para aumentar a quantidade de ar a não ser que se coloque um turbo ou um blower, que não é o nosso caso).

Para aumentar a quantidade de combustível é necessário aumentar o tempo de abertura dos bicos injetores. Só conseguimos mecher nessa variável nas regiões de baixa e média RPM pois, em alta, o bico já fica aberto o tempo todo (isso é possível de ver com um osciloscópio). Na grande maioria dos projetos (eu diria 99,999999%) os bicos injetores são desenvolvidos para ter 100% de abertura em alta, ou seja, não dá para abrir mais o bico do que 100% (pq a fábrica gastaria $$ desenvolvendo um bico que é mais robusto do que o necessário para atender ao projeto???). Na zona de baixa, não adianta aumentar a entrada de combustível pois o motor não é solicitado nesse regime (é inútil investir aqui). Então só nos resta o regime intermediário do motor, que é a zona emissionada do mapa. O que o "chip" vai fazer é simplesmente "retirar os amanssadores" do motor que são colocados para atender emissões, permitindo que o motor se desenvolva mais nessas regiões. É só isso! O foco é emissões, não desempenho.

Assim, o carro vai ganhar algum torque EM INTERMEDIÁRIA, mas é impossível que ganhe mais potência apenas colocando o chip (Potência = Torque x RPM x Constante). Também vale lembrar que a "potência máxima do veículo" é alcançada em alta RPM, regime que quase não é alcançado no uso normal. A diferença que talvez seja sentida reflete um aumento no torque, não na potência. Para ganhar mais potência é necessário aumentar o torque em alta e o carro realmente vai andar mais, mas isso requer uma intervenção mais drástica no motor, como colocação de um turbo e todas a modificações para permitir isso (geralmente é um custo altíssimo).

Como exemplo, sugiro pegar o mapa do Face, que foi colocado no post [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]. Lá é notório o "amanssamento" do motor entre 2500 e 3500 RPM. Possívelmente essa é uma zona emissionada, pois a curva de um motor normal deveria ser "contínua". Nessa região é possível ganhar algum TORQUE com a reprogramação. O carro vai ganhar alguma aceleração, mas a velocidade final vai ser a mesma, afinal a RPM final vai ser a mesma e a relação de marchas também.

Bom, esse é meu ponto de vista. Não acredito em reportagens, apenas em resultados concretos e eu nunca vi nenhum que comprovasse algum aumento de potência apenas com chip (pelo contrário, já vi gente frustrada com isso).

Um abraço!!!

15 Re: Remapeamento da Injeção em Sex Ago 19, 2011 10:11 am

qu1nh0

avatar
Motor Acteco 1.5
Motor Acteco 1.5
pra pagar 1500 reais chipando o carro e perdendo a garantia é melhor turbinar logo de uma vez, com certeza o ganho sera muito maior (em potencia) ...

e o turbo com 2mil acho que vc coloca no cielo, só nao sei se ja existe um kit aqui pra ele...

16 Re: Remapeamento da Injeção em Sex Ago 19, 2011 10:19 am

Gustavo


Motor Acteco 1.6
Motor Acteco 1.6
felipemaraschin escreveu:Gustavo, realmente é polêmico. Eu não coloco no meu carro, mas pq isso não funciona. Mesmo que o artigo não conclua nada ele ainda tende aos entrevistados, que são lojas de preparação e vendem esse serviço, ou seja, jamais diriam que não funciona.

Colocar chip em carro aspirado (não estamos falando de turbo) não vai dar nenhum ganho em alta. A conta é simples e foi citada no post do Clube do Jetta (Potência = Torque x RPM x Constante). Essa é a formula, não tem mágica.

Se quiser aumentar a potência do carro, só aumentando o torque ou aumentando o RPM. Essa última não é recomendável uma vez que a durabilidade do motor vai diminuir muito, então só nos resta aumentar o torque. Ok, como se faz isso no aspirado: Aumentando a quantidade de mistura ar/combustível que enviado para dentro do motor (não dá para aumentar a quantidade de ar a não ser que se coloque um turbo ou um blower, que não é o nosso caso).

Para aumentar a quantidade de combustível é necessário aumentar o tempo de abertura dos bicos injetores. Só conseguimos mecher nessa variável nas regiões de baixa e média RPM pois, em alta, o bico já fica aberto o tempo todo (isso é possível de ver com um osciloscópio). Na grande maioria dos projetos (eu diria 99,999999%) os bicos injetores são desenvolvidos para ter 100% de abertura em alta, ou seja, não dá para abrir mais o bico do que 100% (pq a fábrica gastaria $$ desenvolvendo um bico que é mais robusto do que o necessário para atender ao projeto???). Na zona de baixa, não adianta aumentar a entrada de combustível pois o motor não é solicitado nesse regime (é inútil investir aqui). Então só nos resta o regime intermediário do motor, que é a zona emissionada do mapa. O que o "chip" vai fazer é simplesmente "retirar os amanssadores" do motor que são colocados para atender emissões, permitindo que o motor se desenvolva mais nessas regiões. É só isso! O foco é emissões, não desempenho.

Assim, o carro vai ganhar algum torque EM INTERMEDIÁRIA, mas é impossível que ganhe mais potência apenas colocando o chip (Potência = Torque x RPM x Constante). Também vale lembrar que a "potência máxima do veículo" é alcançada em alta RPM, regime que quase não é alcançado no uso normal. A diferença que talvez seja sentida reflete um aumento no torque, não na potência. Para ganhar mais potência é necessário aumentar o torque em alta e o carro realmente vai andar mais, mas isso requer uma intervenção mais drástica no motor, como colocação de um turbo e todas a modificações para permitir isso (geralmente é um custo altíssimo).

Como exemplo, sugiro pegar o mapa do Face, que foi colocado no post [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]. Lá é notório o "amanssamento" do motor entre 2500 e 3500 RPM. Possívelmente essa é uma zona emissionada, pois a curva de um motor normal deveria ser "contínua". Nessa região é possível ganhar algum TORQUE com a reprogramação. O carro vai ganhar alguma aceleração, mas a velocidade final vai ser a mesma, afinal a RPM final vai ser a mesma e a relação de marchas também.

Bom, esse é meu ponto de vista. Não acredito em reportagens, apenas em resultados concretos e eu nunca vi nenhum que comprovasse algum aumento de potência apenas com chip (pelo contrário, já vi gente frustrada com isso).

Um abraço!!!

Não vi o artigo tender aos entrevistados... até pq um deles não era fornecedor.
Prefiro acreditar em artigos realmente imparciais do que no achismo de usuario de forum qualquer. Só acho que o simples remapeamento sem alterar mais nada no conjunto é ilusão. Agora se fizer chip+admissão+escape vai ter resultado sim.

Quinho, turbinar carro por 2 mil reais? nunca vi. 2 mil pode ser só o kit.

17 Re: Remapeamento da Injeção em Sex Ago 19, 2011 10:55 am

felipemaraschin

avatar
Motor Acteco 0.8
Motor Acteco 0.8
Gustavo, não estou acreditando no achismo de um usuário, mas apenas analisando o que foi dito e juntando a fatos que eu já vi sobre o assunto e analisando.

O que eu falei sobre os bicos injetores não é achismo, EU VI isso acontecer (estive presente quando efetuavam a análise do funcionamento dos bicos com osciloscópio em alguns carros). Em alta RPM os bicos já ficam 100% abertos, então não dá para jogar mais combustível do que ele já manda. Para isso acontecer seria necessário trocar os bicos (maior vazão) e/ou a bomba de combustível (também de maior vazão). Mas fazer só isso vai deixar a mistura rica e o carro vai afogar. Ou seja, além de colocar mais combustível é necessário colocar mais ar, partindo para ferramentas como o turbo.

Não sou contra a colocação de kits no motor, muito pelo contrário, acho que dá para se alcançar ganhos expressivos se o trabalho for bem feito (de preferência com uma empresa de renome pq isso não é brincadeira). Mas mudando APENAS NA PROGRAMAÇÃO (sem nenhuma outra alteração) não há ganhos em alta, apenas algum ganho de torque em intermediária que, dependendo do carro, talvez nem seja expressivo (já vi vários exemplos).

Fazer a admissão (não estou falando de turbo) e o escape vai melhorar um pouco o fluxo de ar (e aumentar o barulho Very Happy), mas ainda assim vai precisar de mais combustível, caso contrário a mistura vai ficar pobre. Outro detalhe, essa alteração vai deixar o carro meio brocha em baixa (mesmo conceito dos motores 16 válvulas).

No fim das contas a gente está falando a mesma coisa: Somente remapear sem alterar mais nada não vai fazer diferença. Essa história de 40 CV apenas remapeando é conversinha.

Um abraço!!!

18 Re: Remapeamento da Injeção em Sex Ago 19, 2011 11:22 am

qu1nh0

avatar
Motor Acteco 1.5
Motor Acteco 1.5
Gustavo... pode ser até mais, mas nao acredito que seja tanto, varia mto de carro pra carro. Pro cielo eu nao faco ideia, nem sei se tem o kit..

é que um kit turbo para um celta 1.4 que eu tinha tava na faixa de 1.400 reais (só o kit)... (nao botei turbo nao, so vi o preco..)

logico que isso é uma bola de neve, vc vai mexendo, mexendo e aumentando cada vez mais..

pq ai vc poe o kit, mas tem o escapamento, tem o remapeamento.. tem isso tem aquilo.. enfim, no final pode ser que gaste 5mil..

eu fiz uma comparacao basica chip <> kit turbo..

eu nao pagaria 1.500 reais pra chipar o carro.

19 Re: Remapeamento da Injeção em Ter Jun 04, 2013 10:28 am

Jésus Sangi


Motor Acteco 0.8
Motor Acteco 0.8
bom pessoal. sou novo no cielo mas já me conformei com a "frouxidão" mesmo com os 119cv, ele no uso tem menos torque que um uninho economy. rsrs mas gosto do carro, é bonito, confortável e barato!
Mas tem uma coisa que me deixa irritado nele. Já que não anda, porque bebe muito? na estrada fiz incríveis, quase inacreditáveis 14,5 km/l nele. até eu não acreditei. mas fiz média de bomba. ai vendi meu uninho e to usando o "chingling" no perímetro urbano, no dia a dia... fiquei triste. só deu 8 em trajeto de pouco transito porque moro em cidade pequena, redução da velocidade mesmo só por lombadas e faróis.. Então, será com o remap da injeção, ou trocando filtro de ar e etc esse consumo urbano abaixa? nem to me importando tanto com a falta de potência..

obrigado!

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum