Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Chery Celer » Auto Esporte avalia positivamente o Celer Hatch nacional

Auto Esporte avalia positivamente o Celer Hatch nacional

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

Overdrive

avatar
Administrador
Administrador
Chery Celer Hatch nacional: primeiras impressões - 21/08/2015

Modelo feito em SP mostra evolução dos chineses no Brasil.
Falta pouco para chegar ao nível dos mais vendidos no segmento.




Avaliação Geral

Agora nacional, o Chery Celer pode, pelo menos, colocar aquela “pulga” atrás da orelha de quem nunca cogitou ter um carro chinês. Com produção em Jacareí (SP), o hatch tem muitos acertos e se aproxima do patamar dos rivais mais vendidos no segmento.

Com preço sugerido a partir de R$ 38.990 (uma promoção baixou para R$ 34.990 até o fim de agosto), o hatch da Chery está na mesma faixa de valores iniciais de Ford Ka (R$ 39.390), Chevrolet Onix (R$ 37.790), Fiat Novo Palio (R$ 39.990) ou Hyundai HB20 (R$ 38.595).

A grande diferença é que o Celer vem com motor 1.5, de 113 cv (abastecido com etanol), enquanto os demais são 1.0. Ou seja, ele deixou de ser um carro “barato”, mas ainda é menos caro que os competidores com motorização similar – o Ka 1.5 parte de R$ 43.090, o Onix 1.4, de R$ 45.150, e o Palio 1.4, de R$ 43.360. Mesmo o rival chinês JAC J3S parte de R$ 41.990 com motor 1.5.

Se só um motor mais potente ainda não convencer o consumidor, a pelo menos visitar a concessionária da marca, a lista de equipamentos pode dar o empurrão final. Além dos já “básicos” ar-condicionado, airbag duplo, freios com ABS, direção hidráulica, vidros e travas elétricas, o Celer é equipado com faróis com ajuste elétrico, sensor de estacionamento traseiro e vidros elétricos também nas portas traseiras.

E, por uma diferença de R$ 2 mil, é possível comprar o “topo de linha” Act, que acrescenta faróis de neblina, alarme antifurto na chave, sistema de entretenimento e áudio, e rodas de liga-leve. Foi esta versão que o G1 testou por uma semana, em trajetos urbanos.

Da forma mais direta possível, é, sim. Claro que ainda pode melhorar, principalmente no acerto da suspensão e na montagem das portas, mas a experiência de conduzir o Celer na cidade não deve muito aos rivais.

Ele até acrescenta um pouco de emoção, com arrancadas mais vigorosas do que um 1.0 na mesma faixa de preço, graças aos 15,5 kgfm de torque, e maior também que os 14,9 kgfm do Ka 1.5 e que os 13,9 kgfm do Onix 1.4.

Sem inovar, nem fazer feio, o design é bastante similar aos concorrentes, só que com volume maior. Isto ocorre porque o Celer é quase um “grandalhão” no segmento, com seus 4,18 metros de comprimento, 2,57 metros de entre-eixos e 380 litros de porta-malas, o que o torna o mais capaz para levar 5 passageiros.

Em outro quesito que desapontava nos chineses, o acabamento, o primeiro carro nacional da Chery melhorou e já está em linha com o segmento. O plástico predomina, mas não tem rebarbas e espaços muito grandes entre as peças, nem cheiro forte como os carros novos da JAC.


Os defeitos

O Celer nacional é um bom carro, mas tem defeitos como os outros. Na parte mecânica, o câmbio com bom curso faz um barulho constrangedor, que incomoda mais do que o som do motor 1.5 sob o capô.

Outra fonte de barulho é a suspensão, principalmente quando as rodas passam por buracos e lombadas. Em algumas situações, a suspensão faz um “baque” forte quando é altamente exigida.

Nas curvas, ele também decepciona, permitindo a rolagem da carroceria.

No entanto, os piores estampidos vieram das portas. Na unidade testada, os fechos pediam mais força que o normal para abrir e fechar, incluindo o porta-malas. Assim, bater as portas tornou-se uma atitude normal com o Celer, embora não seja saudável.


Conclusão

Assim como os demais modelos do segmento, o Celer nacional possui pontos positivos e negativos. Com certeza, o grande diferencial é ostentar 113 cavalos de potência por um valor em que os demais entregam no máximo 85 cv (caso do Ka).

Faltam acertos pontuais de suspensão, no câmbio e na montagem para a experiência ser do mesmo nível dos rivais. Além disso, a produção local de peças também deve melhorar o problema de pós-venda que ainda marca algumas fabricantes chinesas.

Mesmo com os defeitos, o Celer pode entrar tranquilamente entre as opções a serem consideradas por alguém que está pesquisando seriamente um hatchback compacto 1.0, sem preconceitos ou ideias pré-concebidas sobre as montadoras de veículos.





Reportagem completa: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum