Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Área Livre » “Tiozão da Hornet” famoso no YouTube atropela e mata um pedestre

“Tiozão da Hornet” famoso no YouTube atropela e mata um pedestre

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

Overdrive

avatar
Administrador
Administrador
“Tiozão da Hornet” famoso no YouTube atropela um pedestre – e só agora será investigado

Aconteceu no fim de janeiro: um famoso motociclista que “pilotava” suas motos insanamente pelas ruas e avenidas de São Paulo acabou tornando-se vítima de sua imprudência e atropelou um homem sobre a faixa de pedestres. Um acidente que inevitavelmente aconteceria, pois ninguém consegue dirigir o tempo todo no limite sem grandes consequências. Talvez você não saiba de quem estamos falando. Nesse caso, permita-me apresentá-lo.

Kleber Atalla é o dono de uma loja de escapamentos em São Paulo que ficou famoso no YouTube por usar uma GoPro e sua moto Honda Hornet (atualmente usa uma CB1000R) para expor seu “estilo de pilotagem”, como ele mesmo diz, e caiu nas graças do povo como um anti-herói das ruas.

O estilo de pilotagem em questão é nada menos do que andar costurando em alta velocidade pelo caótico trânsito paulistano. Em todos os vídeos de Kleber é possível contar dezenas de infrações de trânsito. Kleber comete infrações e crimes de trânsito e grava as provas, mas talvez por conhecer a “justiça” brasileira, continua impune e motivado.

Sua única intenção era ganhar audiência em seus vídeos no YouTube. Falem bem ou falem mal, falem de mim. E cliquem no play para eu ganhar fama (e talvez uma publicidade para minha loja). Não seríamos coniventes com isso, nem mesmo como denúncia jornalística — até por que seria usar Kleber como bode expiatório de algo que acontece rotineiramente em todo o país.

Sempre achei Kleber Atalla apenas mais um exemplo daquela gente que alimenta as mórbidas estatísticas do trânsito brasileiro. Não se trata de um manifesto anti-motoqueiro, porque eu estaria sendo hipócrita e livrando a cara de gente graúda que faz besteira em seus SUVs enormes por aí em nome da importância de suas reuniões urgentes. Essa gente que acha que seu tempo é mais importante que o dos outros, que sua pressa é mais apressada e mais valiosa que a do resto do universo e em nome disso comete todas as infrações possíveis e imagináveis em seu percurso rotineiro no trânsito.

Mas Kleber conquistou uma multidão de fãs (há quem o considere um exemplo de vida), que provavelmente o admiram pela forma que lida com a correria do dia a dia — e pela forma que conduz sua moto, usando suas necessidades como justificativa para conduzir sua moto loucamente pelas ruas paulistanas. Como se a pressa dos outros fosse menos importante, como se seu tempo e seu trabalho fosse mais importante, alimentando a infame luta de classes do trânsito brasileiro.

É aqui que sua fama começa a tornar-se perigosa. Ao ser eleito herói de algumas pessoas, ele passa a ser um exemplo para elas. E Kleber no trânsito é um mau exemplo.


Para saber mais: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Campini


Proprietário QQ
Proprietário QQ
Eu não entendo porque é que as motos não saão multadas atualmente no Brasul. Nos meus tempos de lambretista cheguei a ser parado pelos guardas 18 vezes em um único domingo, e eu não tinha feito nada de errado , eles verificavam a documentação, os acessórios as luzes e me liberavam. Mas mesmo sem bancar o louco sofri um acidente na Dutra que quase me matou.
Hoje vejo motociclistas se lixando do Código Nacional de Trânsito passando a mais de 120 nos túneis de São Paulo onde a máxima é 60, na Via Ditra nos passam até a mais de 200 e ninguêm os para, ninguém os multa, bastou ter uma moto de grande cilindrada e pronto o sujeito se torna uma pessoa especial bem acima do bem e do mal.
No outro dia na rua onde moro, que tem um trecho asfaltado em subida e outro plano com paralelepipedosm, um sujeito testando uma Hornet desceu à toda, ao chegar na parte calçada a moto quicou ele caiu e veio escorregando por uns 50 metros e bateu num muro, a moto foi até o fim da rua soltando faíscas e pedaços, o capacete do sujeito rachou no meio e ele ficou com um buraco no crânio que cabia uma mão, por incrível que pareça não morreu.
Penso que ou somos todos iguais no trânsito todos de motoristas de bitrem a pedestres, todos tratados com o mesmo rigor, ou então isto tudo é uma babel onde quem pode mais chora menos - e infelizmente é uma babel mesmo onde os mais fracos vivem chorando e ninguém ouve os seus lamentos.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum